FISL 13, eu fui!

Mantendo a tradição anual, participei de mais uma edição do Fórum Internacional de Software Livre (FISL).

Um evento para reencontrar velhos amigos, fazer novos, assistir palestras de qualidade e conhecer novas opções tecnológicas (ou mesmo de outras áreas menos nerds!).

Este ano eu estava representando também a Faculdade IENH com o projeto de “torradeiras” que montamos por lá. Através de um convênio firmado com o Ministério Público recebemos máquinas apreendidas de caça-níqueis. Uma triagem separou os materiais e criamos diferentes soluções. Dentre elas, destaco as “torradeiras”. Eram maletas utilizadas como caça-níqueis. Customizamos um pouco este material, instalamos uma distro e um software [1] e disponibilizamos diferentes distribuições de Linux para os participantes.

CDs/DVDs toaster

Agradeço à organização, na pessoa do amigo Rodrigo Troian, ao organizador do espaço, Eloir Rickenbach, pelo convite e pelos CDs e DVDs ofertados aos participantes. Agradeço também ao Eloir e ao Marcos Egito (do Centro de Recondicionamento de Computadores – CRC Recife) pela sempre pronta disponibilidade em resolver as eventualidades ora surgidas.

Não consegui participar de tantas palestras quanto gostaria devido às minhas atividades paralelas no evento. Embora a participação tenha sido menor, sempre se agrega conhecimento nas palestras nas quais se participa. Saber que o Banrisul está utilizando a solução de mainframe da IBM é interessante e é um caso real para ilustrar aos meus alunos. Conhecer a solução de VoIP utilizada na Caixa com software desenvolvido em território nacional é empolgante. E, como sempre, o Eriberto deu seu show e agregou conhecimento de forma simples! Não sabia nada sobre GPT e agora sei (obrigado Eriberto!). 🙂

Mas dentre os eventos que participei, o mais gratificante foi o encontro de usuários Zarafa. Éramos apenas 5 pessoas, sendo 2 palestrantes. Mas estar conversando diretamente com o desenvolvedor daquele solução que utilizamos é uma sensação única. No caso, um dos palestrantes, era o Sebastian Kummer, o principal responsável pelo Z-Push. Foi ótima a conversa e extremamente esclarecedora. Espero ter mais casos de uso do Zarafa para compartilhar em uma próxima oportunidade.

Por tudo isto é que digo: até o ano que vem!

 

[1] O software original pode ser encontrado em http://cdot.senecac.on.ca/projects/toaster. A versão que utilizamos foi modificada por adrianorg do SLVS.

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: